Seu Navegador não tem suporte a esse JavaScript!
 
  • BENEDITO JOSÉ RIBEIRO  -
  • Vereadores
    LEGISLATURA 2017 - 2020
    Presidente Atual
    BENEDITO JOSÉ RIBEIRO
(SIC - Físico)
Local e Horário de Atendimento
ao Público
PREFEITURA MUNICIPAL DE URU

Avenida FranciscoTelles, 461 - Centro - 16.650-000

Telefones:
(14) 3582-8000

Email
prefuru@uol.com.br

De Segunda a Sexta Feira
Das 08:00 às 11:00 horas e das 13:00 às 17:00 horas

Data: 06/03/2013 Hora: 00:00:00
História do Município
Webline Sistemas

http://uru.sp.gov.br/images/URU_brasao.JPG
O nome URU é originário de um pássaro muito comum no Centro-oeste e Sul do Brasil. São aves galiformes que vivem em pequenos bandos no chão, alimentando-se de pequenos frutos, e preferem matas densas. Hoje só é encontrado na região de Mato Grosso e Amazonas, mas já existiu por aqui.

Uru surgiu nas primeiras décadas do séculos XX . Conta a história que seu fundador-emérito, Sr. Paschoal Flamino, que era colono de café a muito tempo, nos idos de 1.910 adquiriu uma propriedade no município de Pirajuí, dedicando-se ao cultivo de café, e em 1.919 trasladou-se para a localidade onde hoje se encontra o município de Uru, adquirindo uma fazenda de aproximadamente 180 ha. de terras inexploradas que, com arrojo desbravou-as para dar continuidade à lavoura cafeeira e então buscou fundar uma vila. Por volta do ano de 1.923, dividiu uma pequena parte de suas terras (15 ha) em lotes, vendendo-os aos colonos e pessoas interessadas na região já produtiva.Essa iniciativa veio permitir a outros proprietários que habitavam nessa localidade seguir o seu exemplo, sendo um deles o Sr.Francisco Telles, vizinho de terras. Foi a partir deste empreendimento que surgiu em 1.934 um pequeno patrimônio denominado Santo Antonio de Uru. O patrimônio de Uru desenvolveu-se rapidamente e em 1.953, o então Governador do Estado, Dr.Lucas Nogueira Garcez, promulgou a lei nº 2456, de 30/12/1953 , dando a Uru sua emancipação política com instalação em 01-01-1954 com o nome atual de Uru.

Quando de sua emancipação política chegou a ter uma população de 4.000 habitantes, a grande maioria residindo na zona rural, trabalhando na lavoura de café. Na década de 60 a cafeicultura, principal pólo econômico regional, começou a se inviabilizar porque seu comércio tornou-se oscilante no mercado exterior. A curto prazo não houve política de preços e a médio prazo passou-se a adotar uma política de abandono no trato, pois os insumos, e a matéria-prima importada, ficaram caríssimas e fora do alcance da grande maioria. A situação no município foi ficando insustentável, pois o mesmo possuia uma base econômica primária, sem nenhuma indústria ou atividade comercial atuante, o que provocou o êxodo rural e a migração da população para outros centros urbanos, o que esvaziou a cidade de Uru. Hoje o município conta com uma população de 1.406 habitantes, sendo 503 na zona rural.

As lavouras de café começaram a ser arrancadas e as pastagens foram surgindo. As propriedades passaram a ter então um caráter de sobrevivência, ou seja plantava-se para o próprio consumo. Hoje em dia começamos a viver um novo momento de mudanças com a vinda das lavouras de cana. Será que tudo irá acontecer novamente?

O município possue uma área de 14.400 ha, com 64,1 km de rios distribuídos em nascentes principais; a foz dos córregos deságuam no Rio Tietê, mais precisamente no reservatório da Usina de Promissão. Estes córregos têm sua vazão diminuindo ano a ano, e em muitos trechos apresentam-se assoreados, dificultando o seu uso. Tentando sanar esse processo o municipio atraves do Programa Estadual de Microbacias Hidrográficas, vem buscando alternativas para controlar a degradação dos recursos naturais. Paralelamente à isto, temos um Projeto de Educação Ambiental desenvolvido na Escola Estadual “Paschoal Flamino”, com excursões e aulas práticas sobre o que pode ser feito para diminuir esta degradação e preparar as crianças para preservar o meio ambiente . Junto ao Viveiro Municipal estamos implantado o plantio de algumas espécies de essências nativas da região para enriquecimento de áreas degradadas nas propriedades do município. Convem ressaltar que dos treze municípios que fazem parte do Escritório de Desenvolvimento Rural de Lins, Uru é o município que possue maior área com vegetação natural, 350 ha, o que facilita nas exposições dadas aos alunos.

Como membro integrante do Comitê da Bacia Hidrográfica do Tietê-Batalha cabe ao município, representado pelo seu Prefeito, definir as obras e ações necessárias para a recuperação, conservação e preservação dos recursos hídricos, e também optar pela aplicação dos recursos do FEHIDRO nas áreas de : combate e prevenção à erosão urbana; saneamento básico e ambiental; coleta, reciclagem e tratamento de resíduos sólidos; educação ambiental; produção de mudas e reflorestamento ciliar; aproveitamento múltiplo de recursos hídricos e planejamento e gerenciamento de recursos hídricos.

 

Enviar esta notícia para um amigo

Reportar erro





Próxima Sessão

LINHA 1
LINHA 2
LINHA 3